George Soros NÃO doou 300 milhões de dólares para a campanha de Geraldo Alckmin

Compartilhe  

Há um boato que circula em redes sociais e WhatsApp afirmando que o empresário e investidor George Soros teria feito a doação de US$ 300 milhões – que equivalem a cerca de 1,1 bilhão de reais – para financiar a campanha de Geraldo Alckmin a presidente do Brasil. Trata-se de uma mentira tão grosseira quanto absurda.

Se você encontrar alguma pessoa compartilhando estas fake news, seja por inocência, ingenuidade ou até mesmo más intenções, não permita que esta mentira seja difundida sem compartilhar a verdade.

Para desmentir este boato, podemos começar lembrando que o Tribunal Superior Eleitoral definiu que o limite de gastos para a campanha a Presidente da República é de R$ 70 milhões (vide esta matéria do portal G1), com acréscimo de R$ 35 milhões na realização de segundo turno (vide nota divulgada no próprio site do TSE). Além disso, todas as doações feitas por George Soros são informadas em seu site pessoal, e o nome de Geraldo Alckmin nunca foi citado nessa página.

Vale reforçar que matéria publicada no portal UOL sobre estas fake news confirmou: não existe nenhum registro de doação ou de ligação entre George Soros e Geraldo Alckmin.

Nesta época de eleições, muitas pessoas mal intencionadas tentarão influenciar os resultados espalhando mentiras grotescas sem qualquer fonte confiável de informação. Não acredite em vídeos de internet ou mensagens encaminhadas de WhatsApp incapazes de citar qualquer fonte conhecida de notícias para amparar fake news. Caso você encontre algum vídeo, site ou perfil de rede social espalhando mentiras que possam prejudicar o futuro dos brasileiros, acesse https://www.geraldoalckmin.com.br/denuncie e denuncie qualquer mentira sobre Geraldo Alckmin. Nosso caminho é da verdade.

Notícias em destaque