Saneamento

Saneamento básico é uma questão primordial. Além de enfrentarmos e vencermos a crise hídrica, buscamos cuidar cada vez melhor da água e da saúde das pessoas.

Saneamento básico é uma das principais necessidades humanas. Busquei fazer com que São Paulo passasse a cuidar cada vez melhor da água e da saúde das pessoas. A rede de esgoto do Estado cresceu mais de 6 mil km desde 2011, e 145 novas Estações de Tratamento foram construídas no mesmo período.

O estado já coleta 90% do esgoto produzido em seu território e trata 75% do material.

Também enfrentamos e vencemos a maior crise hídrica da história de São Paulo. Foram quase dois anos sem chuvas, entre 2013 e 2015. Neste período, a Região Metropolitana de São Paulo, um dos maiores aglomerados urbanos do planeta, com cerca de 20 milhões de pessoas, ficou com o abastecimento seriamente ameaçado.

A experiência mostrou que o enfrentamento da crise se torna viável quando existem conscientização social, elevados investimentos em infraestrutura, atuação integrada, inovação tecnológica e capacidade técnica para empreender.

Saneamento

São Paulo superou a maior seca da história da região metropolitana

Superar a crise hídrica não foi uma tarefa fácil. Todos nós, cidadãos e cidadãs residentes em São Paulo, tivemos que trabalhar unidos para enfrentar o problema.

Obras e conscientização foram fundamentais para a superação da crise. Com mais de R$ 3 bilhões de investimentos, foram realizadas 500 obras de grande, médio e pequeno porte. Construímos 25 novos reservatórios e as represas do estado foram interligadas para aumentar a capacidade de transferência de água entre as regiões.

E mais: uma grande campanha de conscientização e de fiscalização contra desperdícios reduziu o consumo de água em 15% na Região Metropolitana de São Paulo.

Investimento superior a R$ 3 bilhões

39 milhões de pessoas beneficiadas

Região Metropolitana gasta em média 15% a menos de água do que antes da crise

São Paulo ganhou 25 novos reservatórios

Novos reservatórios trazem dois grandes benefícios: abastecimento melhor e menos vulnerável, e a redução das perdas. De 2014 a 2016, 25 reservatórios foram implantados e a capacidade de armazenamento da Região Metropolitana foi ampliada em 164 mil m³.

R$ 130 milhões investidos no aumento da capacidade de armazenamento

Armazenamento da Região Metropolitana cresceu em 164 mil m³

Saneamento

Investimentos em Saneamento pela SABESP

A aplicação vigorosa de recursos na expansão da infraestrutura sanitária reflete os avanços no setor de saneamento básico e coloca São Paulo entre os estados brasileiros mais bem atendidos nessa área.

28 novas estações de tratamento de água foram entregues em seis anos

1,3 milhão de novas ligações de água nos últimos sete anos

Aumento de mais de 8.000 km da rede de tubulações e canos de água

Mais beneficiados por tarifa social durante meu governo

O número de pessoas beneficiadas pela tarifa social de água aumentou 87,5% em São Paulo: saltou de 800 mil em 2011 para 1,5 milhão no final de 2017. A cobrança da tarifa residencial de água no estado é dividida em três categorias: básica (comum), social e favela. A tarifa social custa um terço da taxa normal.

O programa Se Liga na Rede conecta as casas de famílias de baixa renda à rede de água: mais de 100 mil pessoas já foram beneficiadas.

87,5% no aumento de beneficiados pela tarifa social

100 mil pessoas beneficiadas pelo programa “Se Liga na Rede”

Saneamento

São Paulo tem os melhores índices do país em coleta e tratamento de esgoto

Mais saúde para a população, com água mais limpa. Os índices de saneamento básico em São Paulo estão muito acima da média nacional. Segundo o Instituto Trata Brasil, 51% do esgoto produzido no país são coletados, e somente 44% passam por tratamento. Além disso, mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso a água tratada. Em São Paulo, o acesso à água é universalizado há muitos anos, a coleta de esgoto chega a 90% do produzido e 75% do material sanitário é tratado.

145 novas estações de tratamento de esgoto foram implantadas entre 2011 e 2017

1.381 novas ligações de esgoto foram realizadas no mesmo período

6 mil km a mais de rede de esgoto, distância superior à do Oiapoque ao Chuí.

Programa Onda Limpa

O maior programa de saneamento ambiental da costa brasileira elevou o índice médio de cobertura de esgotos na Região da Baixada Santista.

Aumento de 54% para 77% da coleta de esgoto

1.172 km de redes coletoras

Reforço de 3.600 l/s, suficiente para atender 1,1 milhão de pessoas

Obras contra enchente: retirada de detritos dos rios Tietê e Pinheiros

Investimos R$ 867 milhões na remoção de 11,9 milhões de m³ de detritos e sedimentos do Rio Tietê e seus afluentes entre 2011 e janeiro de 2018. Já das águas do Pinheiros retiramos 2,2 milhões de m³ de material assoreado.

440 mil caçambas de detritos retirados dos rios Tietê e Pinheiros

14 milhões de m³ de sedimentos removidos para evitar enchentes

R$ 150 milhões gastos na limpeza de 25 piscinões municipais

Área de atuação

Trabalhei para modernizar São Paulo, gerando empregos e construindo as bases do desenvolvimento sem comprometer as finanças do estado. Confira a lista de realizações de meus mandatos mais recentes como governador em cada área da gestão pública.