Ana Amélia

A Coligação Para Unir o Brasil formou um time preparado para resgatar a confiança dos brasileiros no futuro do nosso país. Além da experiência, da vida limpa, da seriedade e competência de Geraldo Alckmin, a chapa conta com a senadora Ana Amélia, um símbolo da dignidade e determinação que queremos ver nas instituições públicas.

Persistência e dedicação

Ana Amélia Lemos nasceu em Lagoa Vermelha, na região Nordeste do Rio Grande do Sul, em 23 de março de 1945. Mais velha entre os nove filhos do carpinteiro João Laureano de Lemos e da cozinheira Cilene Daros de Lemos, Ana Amélia teve uma infância pobre e com poucas perspectivas, mas conseguiu transformar a própria história graças à sua obstinação pelos estudos.

Aos nove anos, Ana Amélia deixou a família e sua cidade natal para ser dama de companhia de uma senhora em Porto Alegre e, ao mesmo tempo, iniciar a formação no ensino básico. Quatro anos depois, ela retornou a Lagoa Vermelha para cursar o ensino médio. Na sequência, Ana Amélia entrou na faculdade de jornalismo e conquistou seu diploma enquanto exercia seus primeiros trabalhos assalariados.

Ana Amélia foi balconista, funcionária pública e secretária executiva antes de iniciar uma respeitada carreira no jornalismo, nos primeiros anos da década de 1970.

A primeira oportunidade na profissão surgiu na Rádio Guaíba, de Porto Alegre. Ana Amélia também trabalhou no Jornal do Comércio, na Rádio e TV Difusora, no Correio da Manhã, na Revista Visão e, a partir de 1977, no Grupo RBS, onde ficou por 33 anos.

No início dos anos 80, Ana Amélia foi transferida para Brasília. Ela foi uma das primeiras mulheres no país especializadas em economia e se transformou em um dos nomes mais conhecidos do jornalismo gaúcho. Diariamente, Ana Amélia levou aos lares do sul do nosso país seus comentários e as principais notícias da Capital Federal.

Esse período de crescimento profissional acompanhou os 20 anos de casamento de Ana Amélia com o procurador de Justiça e líder político Octávio Omar Cardoso. Eles não tiveram filhos e Octávio faleceu em 2011, ano em que Ana Amélia trocou a carreira de sucesso na imprensa pelo desafio de exercer o cargo de senadora. Ana Amélia havia sido eleita no ano anterior com 3,4 milhões de votos.

Ana Amélia

Atuação premiada

A atuação de Ana Amélia em seu primeiro mandato no Congresso Nacional foi exemplar. Sua produção legislativa e seu envolvimento nos principais temas de interesse do nosso país resultaram em diversos prêmios e no reconhecimento da sociedade.

Como parlamentar, Ana Amélia apresentou 114 projetos de lei e contabiliza mais de 420 relatorias no Senado Federal.

Ana Amélia foi classificada entre os dez melhores senadores em todas as edições do Prêmio Congresso em Foco desde 2011, em escolha feita por jornalistas que cobrem o Congresso Nacional.

Na avaliação do juri especializado do Congresso em Foco, Ana Amélia foi a melhor senadora em 2017 e segunda melhor em 2018.

O Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), que também avalia a atuação dos parlamentares, indicou Ana Amélia como um dos 100 líderes mais influentes da política de 2012 a 2016.

Ana Amélia também foi indicada ao prêmio Congresso em Foco nas categorias defensora dos municípios, defensora dos servidores públicos, dos aposentados, do consumidor, da educação e do setor agropecuário, em diferentes anos. Em 2013, Ana Amélia foi apontada pelo Diap como a mulher mais influente do Congresso Nacional e a parlamentar mais influente da bancada gaúcha. Atualmente, Ana Amélia é a primeira colocada no ranking que avalia a produção legislativa dos 594 congressistas (deputados e senadores).

Durante o mandato no Senado, Ana Amélia recebeu mais de 120 homenagens e distinções, entre elas o prêmio Octavio Frias de Oliveira por sua atuação voltada aos pacientes com câncer. A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) e a Polícia Federal também a premiaram por seu trabalho no combate à corrupção.

Ana Amélia

Projetos progressistas

Os projetos apresentados durante o mandato no Senado comprovam o caráter de Ana Amélia e sua dedicação no combate à desigualdade e às injustiças.

É dela a lei que obriga os planos de saúde a cobrir o tratamento de quimioterapia com remédios de uso oral para pessoas com câncer.

Também foi Ana Amélia quem apresentou proposta, transformada em lei, para assegurar às mulheres com deficiência equipamentos adequados para a prevenção, diagnóstico e tratamento dos cânceres de mama e de colo de útero no SUS (Sistema Único de Saúde).

Ana Amélia também é autora da lei que cria um marco regulatório para a cadeia produtiva de integração agropecuária e da lei que reserva 20% dos recursos das empresas de energia elétrica destinados à eficiência energética para aplicação no Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). O programa promove a racionalização do consumo, por meio de ações de combate ao desperdício.

Outro projeto de Ana Amélia que se destaca na área da agricultura é o que institui procedimentos menos burocráticos para a renegociação do crédito rural.

Mais projetos importantes de Ana Amélia em análise no Congresso Nacional:

  • Isenta aposentados e pensionistas do INSS, com mais de 60 anos, de pagar Imposto de Renda;
  • Autoriza o acesso dos bancos cooperativos aos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para concessão de crédito rural;
  • Atualiza em 80% a tabela de desconto de Imposto de Renda nos salários dos trabalhadores;
  • Agiliza a liberação de pesquisas de novos medicamentos contra doenças como câncer e Alzheimer;
  • Autoriza as universidades públicas a buscar novas fontes de financiamento por meio de Fundos Patrimoniais Vinculados;
  • Restringe a saída temporária de presos em datas especiais;
  • Fim do voto obrigatório.
Ana Amélia

Trabalho sério e responsável

Ana Amélia foi relatora de duas importantes leis ligados à saúde: a que obriga o sistema público de saúde a iniciar tratamentos contra o câncer no máximo dois meses após o diagnóstico, e a que garante reparação da mama às mulheres que passarem por cirurgia para retirada de tumor.

A senadora gaúcha também foi relatora da lei que regulamentou os direitos dos trabalhadores domésticos e da que definiu procedimentos para o exercício das profissões de esteticista e cosmetólogo (técnico em estética).

Ana Amélia também é autora da Lei que concedeu ao município gaúcho de Carlos Barbosa o título de Capital Nacional do Futsal. O clube, fundado em 1976, detém títulos internacionais e nacionais e trabalha com mais de 600 jovens e crianças em suas categorias de base. Além de Carlos Barbosa, o trabalho abrange os municípios de Salvador do Sul e Garibaldi.

Também é de Ana Amélia a emenda ao Plano Nacional da Educação (PNE) que garantiu a sequência do trabalho das Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) em nossa sociedade.

Ana Amélia ainda se mostrou combativa e determinada em todos os debates políticos relevantes.

No Senado ela também presidiu a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e foi vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte. A senadora ainda foi titular na Comissão Especial do Impeachment de Dilma Rousseff, trabalhou e votou pelo afastamento da ex-presidente.

Ana Amélia

Honestidade e transparência

Desde que assumiu o mandato de senadora, em 2011, Ana Amélia usa com muito cuidado os recursos públicos disponíveis. Anualmente, ela gasta menos de 30% da verba disponibilizada aos parlamentares. Até o final do mandato, no final deste ano, essa postura vai gerar uma economia de R$ 2,4 milhões aos cofres públicos.

Ana Amélia também reduziu os gastos com telefonia, abriu mão do auxílio-moradia e outros benefícios financeiros, nomeou apenas 1/3 dos funcionários permitidos pelo Regimento da Casa e utilizou sua cota na gráfica oficial para imprimir e doar mais de 90 mil livros a estudantes e instituições de ensino. Com isso, economizou outros R$ 7 milhões em apenas um mandato no Senado.